em Artigos sipat palestras

Ergonomia No Trabalho E Doenças Ocupacionais Relacionadas;
Grande parte das doenças ocupacionais se desenvolvem devido aos riscos ergonômicos presentes no ambiente de trabalho.
Afinal, o colaborador passa muitas horas dentro da empresa e, normalmente permanecem o dia inteiro na mesma posição.
Esse padrão, somado à repetitividade das atividades, se torna um risco para o colaborador, comprometendo sua saúde física e psicológica.
Portanto, para cada atividade deve se ter uma postura adequada.
Em ambientes em que é necessário trabalhar sentado, deve-se:
• Olhar na posição anatômica a fim de evitar cervicalgia;
• manter a coluna ereta;
• garantir que as pernas fiquem em um ângulo de 90°;
• os cotovelos apoiados corretamente na mesa, a fim de não sobrecarregar o punho;
• descanso para os pés, que devem manter-se inclinados em uma angulação de em média 45 graus.
Facilitando o retorno venoso, diminuindo dores e inchaços nas pernas.
No caso de trabalho feito em pé, a configuração de todos os móveis deve levar em consideração a altura.
Uma postura incorreta pode ocasionar lesões, fadiga e enfraquecimento de certas regiões do corpo.
Assim, há um comprometimento do sistema osteomuscular, que pode desencadear o surgimento de LER/DORT.
A LER é causada pelo exercício prolongado e repetitivo de determinado movimento.
Como consegue reduzir a capacidade do colaborador de realizar suas atividades, pode levar a uma aposentadoria por invalidez.
Além disso, a lesão por esforço repetitivo é um caso típico de doença ocupacional silenciosa.
Assim como, os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho são adquiridos e desenvolvidos, principalmente, em decorrência da má postura contínua.
Dos riscos ambientais, da sobrecarga de esforço físico e da repetição de movimentos.
O trabalho ininterrupto gera diversas consequências físicas ao empregado.

De acordo com o Art. 71 CLT-
Em qualquer trabalho contínuo, cuja duração exceda seis horas, é obrigatória a concessão de um intervalo para repouso ou alimentação,
O qual será, no mínimo, de uma hora e, salvo acordo escrito ou contrato coletivo em contrário, não poderá exceder de duas horas.

Para manter um bom ambiente de trabalho e reduzir o número de afastamentos, as empresas devem incluir a Ginástica Laboral.
Que consiste em uma série de exercícios praticados no local de trabalho,
Com a finalidade de proporcionar boas condições físicas e mentais à equipe.
Existem dois tipos de Ginástica Laboral: a Preparatória, que é realizada antes ou nas primeiras horas do trabalho,
Composta por alongamentos, aumentando a circulação sanguínea e lubrificação das articulações e tendões;
E, a Compensatória, realizada no meio da jornada de trabalho, como uma pausa, e é praticada para diminuir a fadiga e prevenir doenças ocupacionais crônicas.
Os benefícios da adoção da ginástica laboral dentro do ambiente organizacional são evidentes como, por exemplo:
• Prevenção de Doenças Laborais;
• Redução do sedentarismo;
• Melhora o Condicionamento Físico;
• Redução a fadiga;
• Combate tensões;
• Melhora a autoestima;
• Aumento da produtividade.
Um bom condicionamento físico é ideal para a qualidade de vida e reflete muito em seu trabalho.

Assim como, a estabilidade emocional, é importante para o bom desempenho funcional.

Pois, corpo e mente devem estar em equilíbrio para o funcionamento adequado do trabalho.

Postagens Recomendadas